A popularidade do Papa Francisco

Desde o final dos anos 40 o Grupo Demoscópico Gallup realiza uma pesquisa anual de fim de ano onde pergunta aos americanos quem é o homem e a mulher que mais admiram. Entre os varões, para 2014, Papa Francisco se coloca em segundo lugar, fica só atrás do presidente Obama. Depois vêm personagens como Bill Clinton, o reverendo Billy Graham, George W. Bush, Ben Carson, Stephen Hawking, Bill Gates, Bill O’Reilly, Benjamin Netanyahu e Vladimir Putin.

Entre as mulheres volta a ocupar o primeiro lugar Hillary Clinton, seguida por Oprah Winfrey, Malla Yousafzai, Condoleezza Rice, Michelle Obama, Angelina Jolie, Sarah Palin, a princesa Kate, Elizabeth Warren e Laura Bush.

Certamente não é a primeira vez que um papa aparece nesta pesquisa: em 1980, João Paulo II ultrapassou até mesmo o presidente Jimmy Carter e em todo o seu pontificado, apareceu mais de 20 vezes no top ten.

O estudo dá um passo a mais e oferece as preferências dos entrevistados a partir da sua opção política. Desta forma, os personagens democratas foram nomeados especialmente por filo-democratas e os republicanos analogamente. Embora com poucas menções, coincidiram republicanos e democratas em Clinton e Winfrey, as mulheres melhor valorizadas, enquanto que Obama e o Papa o são entre os homens.

Em termos gerais absolutos a sondagem mostra que a popularidade de Hillary como a de Obama desapareceu neste ano. Para fechar 2014, e do outro lado do Atlântico, o grupo demoscópico Metroscopia, realizou uma pesquisa de opinião na Espanha para o jornal El País sobre a avaliação das dez figuras públicas, entre os quais estava o Papa Francisco.

Os resultados revelam a grande popularidade do Papa na Espanha, porque, de acordo com resultados do estudo Francisco é a figura mais valorizada (+64 pontos), mesmo acima do Rei da Espanha, Filipe VI, que está em segundo lugar (+49). Como aponta o estudo, este é um resultado sem precedentes na avaliação de opinião na Espanha.

Depois do Papa e do Rei de Espanha, as outras três figuras avaliadas positivamente são a rainha Letizia (+44), Obama (+44) e Ban Ki Moon (+11). As cinco piores personalidades avaliadas pelos espanhóis são o presidente espanhol da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker (-12), o primeiro-ministro italiano Matteo Renzi (-12), a chanceler Angela Merkel (-13), o presidente francês François Hollande (-18) e o presidente da Rússia, Vladimir Putin (-58).

De forma contrastante, a chanceler alemã é considerada a pessoa do ano pelo jornal britânico The Times.

Fonte: ZENIT (Agência Internacional Católica de Notícias)